Lavar as mãos pode parecer um hábito, mas nem todo mundo faz uso dele ou sabe fazê-lo corretamente. Lavar as mãos é um gesto simples que ajuda a prevenir diversas infecções. Se feita de forma correta, a lavagem das mãos evita a transmissão de doenças bacterianas, de protozoários e de vírus respiratórios, como por exemplo, a gripe convencional ou a H1N1.

Segundo o infectologista Artur Timerman, uma revista médica publicou um estudo sobre a falta de higiene das mãos nos Estados Unidos, que registrou cerca de 400 mil casos de infecção por esse motivo. Mais grave que isso são os dados de cerca de 150 mil mortes por infecção, que de alguma forma estão relacionadas à falta do hábito.

Como explica o professor de infectologia Edimilson Migowski, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, as bactérias possuem uma capa de gordura e, ao lavar as mãos, o sabão destrói essa capa e inviabiliza a bactéria, matando-a. Portanto, a importância do ato.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde – OMS, o tempo ideal para o esfregar das mãos é de 15 a 20 segundos  (lembrando que, durante este tempo, a torneira não precisa estar ligada, o que economiza água). Numa campanha feita pela instituição a fim de alertar para a lavagem correta, a abordagem sobre o tempo exato de lavagem das mãos era de fácil memorização para adultos e crianças: cantar parabéns pra você duas vezes.

Veja como lavar as mãos corretamente:

- Umedeça as mãos com água e aplique sabão em quantidade suficiente para que a espuma cubra toda a superfície;

- Limpe as partes que ficam escondidas: embaixo das unhas, entre os dedos e linhas marcadas na parte interna;

- Esfregue os pulsos e o antebraço;

- Enxágue bem as mãos retirando totalmente o resíduo de sabão;

- Seque com toalha descartável ou secador de mãos caso esteja em banheiro coletivo;

- Feche a torneira utilizando papel toalha e, se não for possível, lave-a também antes de fechá-la.

É  fundamental ensinar as crianças desde cedo a lavar as mãos e estender este hábito por toda a vida. É importante que este costume aconteça, assim evita-se levar os micróbios para dentro de casa. Este ato deve ser reforçado, especialmente, ao se entrar em hospitais e ao entrar em contato com crianças, já que é onde se encontra uma maior vulnerabilidade.

Para saber mais informações sobre saúde, desinfecção, higiene e limpeza hospitalar, visite nosso site e nos acompanhe no Facebook e no Twitter.

Informações da lavagem das mãos: Sociedade Brasileira de Infectologia.
Outras informações da Band e Globo Repórter.

Avaliação deste artigo
Share