Doenças causadas por agentes infecciosos são frequentes desde o início da existência dos seres vivos no planeta Terra. Com a evolução e a conquista de novas tecnologias surgiram as mais diversas formas de combater essas doenças.

O ambiente é apontado como importante reservatório de microrganismos nos serviços de saúde, especialmente os multirresistentes. A presença de matéria orgânica favorece, ainda, a proliferação desses microrganismos e o aparecimento de insetos, roedores e outros, que podem veicular microrganismos nos ambientes de saúde.

Importância do Serviço de Higiene e Limpeza Hospitalar no Combate a agentes infecciosos

Foto: Bosco Lacerda

O Serviço de Limpeza Hospitalar, pilar estratégico em qualquer processo de certificação de qualidade, é uma das principais formas de prevenção e controle da disseminação destes agentes nos serviços de saúde, garantindo aos pacientes, clientes e profissionais, um ambiente limpo e seguro com redução do número de microorganismos.

O surgimento de infecções nos ambientes de assistência à saúde pode estar relacionado ao uso de técnicas incorretas de limpeza e desinfecção de superfícies e manejo inadequado dos resíduos, pela falta de qualificação profissional dos Auxiliares de Higienização, pelo baixo nível de escolaridade, inadequação do perfil para o cargo, expondo assim, este profissional a riscos ocupacionais (físicos, químicos e biológicos), mesmo na presença de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), passando aquele que seria um controlador de infecções a ser um disseminador, oferecendo risco ao paciente, ao invés de segurança.

Organização Nacional de Acreditação (ONA)

Foto: Google Imagens

O processo de Acreditação Hospitalar é um “sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado” com uma linguagem afinada com práticas estabelecidas, tendo os seguintes objetivos: melhorar os cuidados prestados ao paciente, garantir a qualidade da assistência, garantir segurança dos clientes internos e externos da comunidade, sendo seu processo voluntário e baseado em conceitos de educação permanente.

As auditorias são realizadas com base em padrões, cujo entendimento é facilitado por itens de orientação agrupados em níveis de exigência crescente. Assim o processo se esgota com a Acreditação, mesmo com um resultado favorável. É justamente nesse momento que o processo se inicia, em caminhada permanente pela melhoria da qualidade.

É com esta visão de melhoria permanente da qualidade que as instituições de saúde tendem buscar novas formas de reorganização e reestruturação, entre elas a terceirização dos serviços de apoio, onde se destaca o serviço de higiene e limpeza. Para isso, se faz necessário a contratação de uma empresa séria que atenda à regulamentação sanitária, trabalhista e ambiental, garantindo o gerenciamento dos riscos e a segurança do paciente, e que seu expertise seja a área hospitalar, estabelecendo parceria, prestando uma assistência humanizada que valorize a qualidade do cuidado do ponto de vista técnico, associada ao reconhecimento dos direitos do paciente, de sua subjetividade e referências culturais, com valorização do profissional e do diálogo intra e interequipes.

Uma empresa terceirizada que oferece seus serviços as instituições com finalidades diferentes (instituição de serviços administrativos e hospitalares), no momento de remanejar um funcionário (por falta, férias, folga) de um contrato para a outro, colocará em risco a segurança do paciente, a qualidade do serviço prestado e a biossegurança de seu funcionário. Ocorrerá que ele irá substituir o profissional da área hospitalar sem nunca ter entrado ou sido capacitado para atender um serviço de saúde.

Consultada pela Solunni para uma avaliação criteriosa de suas práticas, Conceição Lira, que é Pesquisadora do Núcleo de Ensino, Pesquisa e Assistência em Infectologia do HC/UFPE, verificou que a empresa não possui Auxiliares de Limpeza Hospitalar e sim Técnicos de Higiene e Limpeza, com práticas e procedimentos embasados nos ditames da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), Normas Trabalhistas (Nr32), órgãos ambientais, com atuação exclusiva na Limpeza e Higienização de áreas hospitalares, agregando para o serviço de saúde um valor diferenciado em um mercado competitivo.

Conceição Lira é Pesquisadora do Núcleo de Ensino, Pesquisa e Assistência em Infectologia do HC/UFPE, Professora da disciplina de Biossegurança, Controle de Infecção e Risco Sanitário Hospitalar/ UFPE, Membro do Projeto Hospitais Sentinela/Anvisa e Colaboradora do Manual Segurança de Limpeza  e Desinfecção de Superfícies da Anvisa.

Avaliação deste artigo
Share